Bullet Journal, pt. 3: Mitos e manutenção

Apesar de já ter falado um pouco sobre isso nos dois primeiros posts da série, o que mais segura as pessoas na hora de fazer um bullet journal são os mitos que foram criados ao longo do tempo em volta desse método. Com a comunidade online de organização e estilo de vida sendo composta majoritariamente por pessoas com bastante dinheiro e tempo livre pra dedicar às suas agendas, fica parecendo que não dá pra ser bom nisso se você não tiver as mesmas condições.

No post de hoje vou abordar alguns mitos diretamente, além de dar dicas pra facilitar a manutenção do seu caderno. A manutenção também surge muito como ponto de preocupação antes de começar, principalmente por causa desses mitos, então achei que fazia sentido falar sobre os dois no mesmo lugar.


Mitos

1. Eu preciso usar o bullet journal todo dia/preciso ter disciplina.

Você deve usar o bullet journal como você sentir necessidade. Se o seu objetivo for se planejar todo dia, é claro que é legal se você usar todo dia, mas não precisa. Nem precisa ter disciplina. Eu ouço às vezes na minha vida pessoal que eu sou uma pessoa muito organizada e eu me considero bastante boa com o bullet journal, e eu não tenho nenhuma disciplina. Nenhuma mesmo, infelizmente. Tem meses que eu só escrevo no meu caderno três vezes, e isso é normal. A sua agenda é pessoal, é só pra você, e as pessoas que usam as delas todo dia não são melhores ou piores no método do que as que não usam, só têm necessidades diferentes.

2. Pra bullet journal só serve caderno quadriculado ou pontilhado.

Você pode fazer um bullet journal em qualquer caderno. Na verdade, o ideal é que o seu primeiro BuJo seja em um caderno que você tem sobrando na sua casa, já que você pode acabar não se adaptando a ele. Já vi agendas em todos os tipos de caderno (inclusive de tamanho padrão escolar) e todas funcionavam, além de quase todas serem bonitas e decoradas.

3. Eu preciso ter uma letra linda.

Se você for se preocupar com o modo como você coloca as coisas no seu bullet journal, você vai simplesmente parar de colocar coisas nele. É muito exaustivo ficar se esforçando pra escrever com uma letra que não é “a sua”, e você vai acabar se estressando com o caderno por ele não ser perfeito. Não se preocupe com isso, principalmente no começo. Foque no conteúdo mais do que na forma. Se depois de um tempo você achar legal tentar uma caligrafia diferente, ótimo! Você pode sempre mudar as coisas, mas não é obrigatório.

4. Eu tenho que usar ele do modo tradicional e botar tudo nele.

Ele foi, sim, pensado pra você botar tudo que você precisa escrever em um papel nele, mas você não precisa fazer isso. Às vezes você já tem um sistema que funciona pra você (tipo colar papeizinhos pela sua casa) e só precisa de uma agenda, ou você gosta de ter um diário separado ou um caderno de bolso pra riscar mais livremente. Não tem problema, a sua agenda é pra você usar como quiser e como fizer mais sentido pra você. A base existe pra te orientar no início e ficar mais fácil de aprender o método, mas você não precisa se apegar a ela.

5. Ele vai, necessariamente, ser ótimo pra mim.

Nada é universalmente bem-sucedido pra todo mundo. É possível que você não goste ou não se adapte ao bullet journal. Existem vários outros métodos de organização que podem ser melhores pra você, não se sinta culpado se o melhor não for o bullet journal.

6. Eu não tenho como aplicar o método a uma agenda convencional.

Você pode aplicar o bullet journal a qualquer tipo de agenda ou caderno. Na verdade, pode ser até interessante usar uma agenda tradicional como base, já que você não vai ter que se preocupar em montar os registros mensais, índice e outras estruturas do bullet journal. O espaço pode ser um problema, mas a princípio o que realmente conta nesse método é a chave e a liberdade de escrever o que você quiser nele. Com uma boa chave e um pouco de espaço você pode, sim, usar uma agenda convencional.


Manutenção

A manutenção do bullet journal, em qualquer tipo de montagem, consiste basicamente em 2 coisas: todo mês, montar o registro mensal e todo dia (ou nos dias que você for planejar), montar o registro diário. Quanto mais complexo for o seu registro mensal, mais demorada vai ser a sua manutenção. O que realmente gasta tempo é a montagem inicial, e a manutenção do método tradicional leva no máximo uns 15 minutos por mês.

Além dessas duas coisas, podemos incluir alguns hábitos na categoria de manutenção. Por exemplo: quando você está começando, você precisa se ensinar a levar o caderno com você quando for sair de casa, marcar as tarefas completas, e planejar o próximo dia. Isso pode levar um tempo, dependendo da sua dificuldade de formar hábitos, mas depois disso vira automático.

A migração das tarefas também é uma forma de manutenção. É legal rever todo o seu mês pra procurar tarefas em aberto que você possa migrar pro próximo mês. Você pode fazer isso quando for montar o seu registro mensal ou depois. Se você for fazer uma coleção de tarefas, você também vai precisar voltar nela algumas vezes pra marcar o seu progresso, então eu recomendo usar algum tipo de marcador nessas páginas pra não perder tempo procurando ela no índice e depois nos números das páginas.

A manutenção anual, caso você tenha gasto um caderno inteiro em um ano, é bastante trabalhosa porque envolve montar o caderno todo de novo (com as adaptações que você tenha achado necessárias ao longo do ano) e depois migrar tarefas de um ano pro outro. Mas ei, você só precisa fazer isso uma vez por ano, então não é tão ruim.


Outra parte da manutenção é a decoração, e é sobre isso que vai ser o post de amanhã. Como sempre, não se esqueça de deixar qualquer dúvida ou sugestão nos comentários aqui ou na página do facebook, e nos vemos amanhã!


Parte 1 – Introdução
Parte 2 – Tutorial de montagem
Parte 4 – Customização acessível
Parte 5 – Hacks


Reflexões de hoje:

Quais mitos estão me impedindo ou me deixando inseguro pra começar um bullet journal?

Eu estou me cobrando em um nível irreal e me comparando a pessoas que fazem isso há muito mais tempo do que eu?

O que eu faço ou posso fazer de único no meu bullet journal?

Anúncios

4 comentários sobre “Bullet Journal, pt. 3: Mitos e manutenção

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s